Eduardo Araújo
Meu carro é vermelho

Eduardo Oliveira Araújo nasceu na fazenda Aliança em Joaíma, MG, em 23 de julho de 1945. Desde cedo, demonstrou uma grande paixão pelos cavalos e pela vida da fazenda, mas, sua veia musical sempre o acompanharia, misturando-se às suas paixões pelos cavalos e pelo campo.
No Brasil, pela televisão, em 1958, o mundo começava a tomar conhecimento do rock. ‘Bill Halley e Seus Cometas’ vieram ao Brasil e enlouqueceram os jovens. Como não podia deixar de ser, Eduardo aderiu aos primeiros movimentos do Rock Brasileiro.
Participando das ‘horas dançantes’, cantando Rock nas esquinas e andando de lambreta, ficou conhecido nas rodas jovens de Belo Horizonte, como legítimo representante da chamada "Juventude Transviada". Logo estava no programa de maior audiência entre a juventude "Hoje é dia de Rock". Seu sucesso foi tanto que a gravadora Phillips o contratou para o seu primeiro disco. Em seguida conheceu Carlos Imperial que futuramente seria seu grande amigo e parceiro musical, levando-o a fazer parte do "Clube do Rock". Eram seus colegas de "clube" na Época: Erasmo Carlos, Tim Maia, Roberto Carlos, Wilson Simonal, Jorge Bem e Renato e Seus Blue Caps, entre outros.
Contratado pela Odeon gravou de Carlos Imperial "O Bom", que ficou em primeiro lugar em todas as paradas de sucesso, sendo contratado em seguida pela TV Excelsior para comandar um programa com o mesmo nome "O Bom" (seu codinome para sempre), com produção de Carlos Imperial.
Tendo Silvinha como parceira na apresentação e a banda jovem do maestro Peruzzi, o programa foi líder absoluto de audiência, e sempre lotando o auditório nas tardes de sábado em São Paulo. Apaixonado pelos cavalos, Eduardo abandonou seu estúdio e passou a se dedicar somente a sua fazenda em Minas Gerais; cantar, somente quando sentisse vontade.
Foi então que à pedido de seus amigos compôs uma canção em homenagem ao Mangalarga. Bastou a música fazer sucesso, e tudo começou novamente.
Em 1988, gravou o seu primeiro disco de músicas Country com produção de seu amigo Renato Teixeira (seu nome era "Um Homem Chamado Cavalo"). Daí iniciou uma verdadeira batalha para tentar furar o bloqueio, gravando mais dois discos: "Pé na Estrada" e "Pegadas", com produção de Odilon Wagner, considerado por ele o melhor de seus trabalhos.
Em 1997, Eduardo Araújo gravou o disco "Pó de Guaraná" em New Jersey, Estados Unidos, e em 2000, recebe um convite muito especial: a dupla norte-americana de sucesso mundial “The Bellamy Brothers” o convida para uma participação especial na música "Vertical Expression" do disco "The Lonely Planet". Eduardo aceita na hora. A música é lançada em toda a Europa e Estados Unidos. Mais tarde Eduardo grava o video-clip da música ao lado dos Bellamys. O vídeo chega ao primeiro lugar na CMT Brasil e ganha o prêmio "CMT Encontro do Ano".
Ainda em 2000, é lançado pela Number One Record o CD "A Aventura Não Termina"; o carro chefe do disco é o hit "Rodeio". A música conta com um belíssimo video-clip dirigido por Giuliano Saad. A segunda música de trabalho é um dueto de Eduardo Araújo com o norte-americano Gene Fireball, "Segura que Esse Touro é Bom"(versão de "Proud Mary" do Creedance Clearwater Revival.

Site oficial

Adaptação (06/08)

© 2017 Rockwalk Brasil®
WP       XHTML       CSS
A Calçada da Fama do Rock

       0

» Categoria "Músico"



» Categoria "Especial"



» Categoria "In Memoriam"