Mutantes
Mais louco é quem me diz

Eles já se chamaram “Wooden Faces”, “Six Sided Rockers”, “O Conjunto” e “O'Seis”, até se transformarem no trio “Os Mutantes”, em 1966, em um programa de televisão.
No ano seguinte, os irmãos Arnaldo Baptista e Sérgio Dias, ao lado de Rita Lee, conseguiram o segundo lugar no festival da Record acompanhando Gilberto Gil em "Domingo no Parque".
Dois anos depois gravariam o clássico LP "Tropicália ou Panis et Circensis" na companhia de Gilberto Gil, Caetano Veloso, Gal Costa, Tom Zé e Nara Leão.
No mesmo ano de 1968 sairia o primeiro LP só dos Mutantes, com os sucessos "Bat Macumba" (Gil), "Panis et Circensis" e "A Minha Menina" (Jorge Ben Jor).
Não demoraria então para que os Mutantes se consagrassem como um grupo musicalmente criativo, marcado pelo deboche e a irreverência.
Em 1969 se apresentaram na França e lançaram o segundo disco. Também participaram de outros festivais acompanhando Caetano Veloso com "É Proibido Proibir" e atuando sozinhos com "Dom Quixote" e "2001". Em 1970 veio "Ando Meio Desligado". O histórico show "Planeta dos Mutantes", realizado em 1969 no Teatro Casa Grande, no Rio, consagraria definitivamente o grupo na cena roqueira inovadora da música brasileira.
Em 1972 lançaram "Mutantes e Seus Cometas no País dos Baurets", trazendo um dos maiores sucessos da carreira, a antológica "Balada do Louco".
Após este disco, os Mutantes experimentaram novas formações com Antônio Pedro Medeiros, Rui Motta, Dinho, Manito e Túlio Mourão, e acabaram virando história: são citados como definição da palavra ‘Mutantes’ na Enciclopédia Delta La Rousse, além de receber a comenda ‘Padre Anchieta’, outorgada pela Câmara Municipal de São Paulo.
Em 2006 o grupo se consagra mundialmente após um show no “Barbican theatre”, em Londres, com a participação especial de Zélia Duncan nos vocais.
Após este show inesquecível, os Mutantes partiram para uma tournée nos Estados Unidos tocando nos locais de maior prestigio dentro da historia do rock mundial: “Webster Hall NYCity”, “Hollywood Bowl – LA”, “The Filmore - San Francisco”, “The Pitchfork Festival – Chicago” e em Miami, aonde receberam o prêmio de ‘Melhor Show do Ano’ de 2006.
Em 2007, o Mutantes toca pela primeira vez no Brasil após 30 anos. A reestréia inesquecível acontece no aniversário da Cidade de São Paulo em frente ao Museu do Ipiranga, com um público estimado em 100.000 pessoas de todas as idades.
Após diversos shows no Brasil, o Mutantes faz a 1ª tour internacional nos Estados Unidos e na Europa com shows em Chicago, Los Angeles, San Francisco e em New York, todos como “sold out” (ingressos esgotados). Recebem as melhores críticas, inclusive uma de primeira página no NY Times, no qual Sérgio Dias é citado como ‘Guitar Hero’ e comparado a Eric Clapton e Carlos Santana.
Na Europa fazem shows em Portugal, Espanha (Benicassim Festival), na Itália, e em várias cidades da Inglaterra, Irlanda e Escócia.
No segundo semestre de 2007, os Mutantes entram em recesso e começam o trabalho de composição de músicas novas em parceria com o novo – velho Tom Zé.

Site oficial

Adaptação (06/08)

© 2017 Rockwalk Brasil®
WP       XHTML       CSS
A Calçada da Fama do Rock

       0

» Categoria "Músico"



» Categoria "Especial"



» Categoria "In Memoriam"