Publicado em 16/12/2011

Além de integrar o Rockhall da Fama, empresário também assume como “Presidente de Honra” do Comitê RockWalk Brasil

O empresário carioca Roberto Medina, publisher de grande sucesso no comando desde a fundação a quatro décadas da Artplan, uma das mais conceituadas agencias de publicidade do Brasil, e mundialmente conhecido por criar e produzir o Rock In Rio, maior Festival de Rock do planeta, acaba de registrar as impressões de suas mãos na “RockWalk Brasil – A Calçada da Fama do Rock”.

A cerimônia de captação das marcas na placa de concreto mais famosa do país foi realizada nesta última terça-feira, 13 de dezembro de 2011, na cidade do Rio de Janeiro.
O encontro da equipe RockWALK Brasil com Roberto Medina aconteceu nos escritórios do empresário, no ‘andar Artplan’ do Edifício Sede de Empresas, na belíssima avenida das Américas, Barra da Tijuca.
Medina foi indicado na categoria “Especial”, onde também figuram nomes como Nelson Motta e Luis Calanca, entre outros, que também prestaram sua relevante contribuição para a história do rock e demais segmentos da música nacional.
Muito simpático e atencioso, Medina também deixou, além da tradicional placa de concreto, seu autógrafo no quadro comemorativo oficial que passa a integrar a galeria dos “Rockwalkers”, que já conta com cerca de quarenta integrantes.
Após a cerimônia de captação, o papo fluiu solto entre os empresários Roberto Medina e Marcio Mota, o presidente executivo do INROCK e também do Comitê Rockwalk Brasil, momentos em que relembraram passagens inesquecíveis de suas vidas, pontuadas por fatos ligados ao mundo da música e da publicidade, formação profissional de ambos, além de outras afinidades. Mas outra grande surpresa esperava pelo criador do Rock In Rio, quando Mota, no momento da entrega do certificado oficial de participação no rockhall das celebridades que compõe a Calçada da Fama do Rock nacional, convidou Roberto Medina para assumir o cargo de “Presidente de Honra” do Comitê Rockwalk, que prontamente aceitou a prerrogativa se dispondo, inclusive, a participar efetivamente do projeto, sobre o qual não poupou elogios.

Roberto Medina, judeu sefardita e que se define como “carioca antes mesmo de ser brasileiro”, nasceu no Rio de Janeiro em 1949.
Filho do também empresário Abraham Medina, o publicitário e empresário despontou nos negócios ao fundar a Artplan, agencia de publicidade e propaganda premiadíssima e dona das maiores contas do mercado nacional. Lembrado pelas campanhas marcantes e famosas como a da Caixa Econômica Federal, na qual lançou o ator Luís Fernando Guimarães e o slogan “Vem pra Caixa você também!”, Roberto Medina, no entanto, se tornaria ainda mais conhecido e mundialmente respeitado a partir de 1980, ano em que trouxe ao Brasil o cantor Frank Sinatra, numa apresentação memorável no Maracanã que, tomado por 170 mil pessoas, entraria para o Guiness Book, além de catapultar o empresário para o mundo do show business.
Cinco anos depois de Sinatra Medina volta à cena ao anunciar a criação e realização do Rock in Rio, um dos maiores festivais de música do mundo.
O primeiro festival acontece em 1985 no Rio, que inclusive dá nome ao evento, mas, logo se transformaria em marca, passando a ser exibida em outdoors de Portugal anunciando o megaevento em Lisboa. Não demoraria para que o Rock In Rio acontecesse também na Espanha, em Madrid, arrebanhando assim um novo e gigantesco público que, somado ao de Lisboa, inevitavelmente passa a representar um grande filão europeu, que se rende cinequanon ao carisma e competência do empresário brasileiro.
Carioca de sorriso largo e fala mansa, Roberto Medina também acabaria recentemente virando livro nas mãos do escritor Marcos Eduardo Neves, sob o título de “Vendedor de Sonhos: a Vida e Obra de Roberto Medina”.
Medina viaja neste final de semana para a Europa com sua agenda já recheada de compromissos que envolvem a realização do 5º. “Rock In Rio Lisboa”, programado para acontecer em maio e junho de 2012, e o 3º. “Rock In Rio Madrid”, no final de junho e início de julho.
Mas, “o cara” é brasileiro, e logo, certamente, estará de volta ao nosso país para iniciar os preparativos da quinta edição do Rock In Rio – Rio, em setembro de 2013.
Haja ansiedade para esperar tanto tempo.
Mas valerá a pena.
E muito, como sempre.
Alguém aí duvida?

AS NOVAS CAPTAÇÕES e a PROGRAMAÇÃO RockWalk Brasil para 2012
Outros ‘monstros sagrados’ que escrevem a história da música brasileira já estão agendados para as próximas placas da RockWalk Brasil, como as bandas Casa das Máquinas, Os Incríveis, Biquíni Cavadão, Rádio Táxi, Made In Brazil, Os Jordans e Cachorro Grande, além dos cantores Marina Lima e Leo Jaime, entre outros indicados, dando continuidade ao projeto RockWalk Brasil, um verdadeiro patrimônio brasileiro, cujo objetivo original é prestar o merecido tributo àqueles que protagonizam a história do Rock And Roll nacional.

O projeto RockWalk Brasil, criação do empresário, músico e jornalista Marcio Mota, e fruto de anos a fio de pesquisas, muito trabalho e dedicação, nasceu oficialmente em março de 2008, e percorre o país desde então em mostras itinerantes nos principais Shopping Centers e demais espaços de cultura. A meta da primeira etapa será a concretagem definitiva de suas placas culminando com a inauguração da “Praça do Rock”, local que certamente se transformará no Santuário do Rock brasileiro.
A previsão é de que o anúncio oficial aconteça no primeiro semestre de 2012.

Fotos


Publicado em 16/11/2011

Pato Fu é eternizada na RockWalk Brasil – “A Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

A banda Pato Fu, consagrado grupo de rock brasileiro e representante clássico da história do rockandroll nacional, acaba de registrar as impressões das mãos de seus integrantes na “RockWalk Brasil – A Calçada da Fama do Rock”.
A cerimônia da captação das marcas na placa de concreto mais famosa do país, aconteceu neste último domingo, 13 de novembro de 2011, na cidade de Ribeirão Preto SP.
O encontro da equipe RockWALK Brasil com os músicos do Pato Fu acontece nos camarins, antes e após o show “Música de brinquedo”, realizado no Ribeirão Shopping por ocasião do evento que marcou a chegada do Papai Noel.
A banda também gravou uma mensagem em vídeo para o site da Rockwalk, e deixou seus autógrafos na guitarra que passa a integrar a coleção do projeto, que já dispõe de dezenas de instrumentos que se tornam a cada dia e com a adição de novas homenagens, um grandioso e inestimável patrimônio da história da música brasileira.
O belíssimo show aconteceu no estacionamento coberto, na área VIP do Shopping e com uma produção impecável, atraindo uma multidão de fãs da banda e demais clientes de um dos maiores centros de compras do interior paulista.
O grande palco é recheado de instrumentos e miniaturas de brinquedo, que, adaptados, produzem um som ‘de adulto’. Ao centro do palco e ao fundo, os grandes e engraçados bonecos articulados e ‘cantantes’ fazem a alegria da garotada, dando aquela pitada de comédia e magia ao show, que conta também com um grande momento ao executar “Live And Let Die”, dos Beatles, com a interpretação doce e irretocável de Fernanda Takai, acompanhada por arranjos precisos, com direito a explosões de serpentinas e outros efeitos hilariantes.
Auto definida como rock alternativo e formada a partir do grupo “Sustados por 1 Gesto, no ano de 1992, na capital mineira Belo Horizonte, a banda Pato Fu, cujo nome seria uma alusão a uma tira em que o gato Garfield luta “gato-fu”, já foi lembrada pela revista Time como ‘uma das dez melhores bandas do mundo fora dos Estados Unidos’, incluída numa lista ao lado de ícones mundiais como Radiohead e U2.
Atualmente seus principais integrantes Fernanda Takai – voz, violão e guitarra rítmica, John Ulhoa – guitarra solo, violão, programação, vocal de apoio, voz e cavaquinho, Ricardo Koctus – contra-baixo, vocal de apoio e pandeiro, Xande Tamietti – bateria e percussão e Lulu Camargo – teclado, piano e acordeão, encabeçam uma competente equipe que, além de outros músicos de apoio, também traz produtores de áudio, cenários e efeitos especiais, transformando o espetáculo numa experiência única e inesquecível para crianças de todas as idades.

Música de Brinquedo
Em agosto de 2010, o Pato Fu lança “Música de Brinquedo”, o álbum mais ousado da carreira e que, como o próprio nome já inspira, seria totalmente gravado com instrumentos de brinquedo e outras miniaturas. Nina Takai, a filha de Fernanda e John, também participa da produção do disco emprestando sua voz para algumas músicas do disco, trazendo 12 regravações de hits famosos, nacionais e internacionais como “Bohemian Rhapsody”, de Freddie Mercury da banda Queen.

Grammy Latino
O sucesso do disco chegou aos palcos e, posterior e inevitavelmente, acabou sendo premiado como “Melhor álbum infantil” no Grammy Latino, realizado em Las Vegas, nos Estados Unidos neste último dia 10, pela Academia Latina de Gravação.
Entre os brasileiros, também se destacaram Caetano Veloso (prêmio de melhor álbum de rock brasileiro), Jota Quest (melhor álbum brasileiro de pop contemporâneo) e Djavan, com melhor álbum de MPB.

Com dezenas de discos e DVDs lançados, além dos prêmios e da consagração mais do que definitiva com o Grammy 2011, o Pato Fu permanece na estrada levando sua música e arte por todos os cantos, mantendo-se no topo da lista dos mais importantes nomes da história da música brasileira, e agora, também eternizada para sempre e ao lado dos maiores ícones brasileiros do segmento, na RockWALK Brasil, a Calçada da Fama do Rock nacional.


Publicado em 06/06/2011

CPM 22 ganha placa na RockWalk Brasil – “A Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

Os integrantes da banda CPM 22, consagrado grupo de rock brasileiro e notório representante da história do rockandroll nacional, acaba de deixar as impressões de suas mãos na “RockWalk Brasil – A Calçada da Fama do Rock”.
A cerimônia da captação das marcas na placa de concreto mais glamurosa do país, aconteceu neste último sábado, 04 de junho de 2011, na cidade de Ribeirão Preto SP, por ocasião de sua apresentação num festival de rock local.
O encontro da equipe RockWALK Brasil com os músicos do CPM 22 aconteceu no lobby do hotel onde se hospedaram, com a presença de muitos fãs que se acotovelavam em busca de uma foto ou autógrafo da banda.
A banda também gravou uma mensagem em vídeo para o site da Rockwalk, e deixou, como de praxe, seus autógrafos em uma das guitarras que integram a coleção do projeto, dispondo atualmente de dezenas de instrumentos que se tornam a cada dia mais um grandioso e inestimável patrimônio da história do rock nacional.

Considerada como uma banda brasileira de rock hardcore melódico, a CPM 22 nasceu em 1995 na cidade de Barueri, São Paulo, e sua formação atual conta com os músicos Badauí (vocal), Japinha (bateria), Luciano (guitarra) e Heitor (baixo).
Uma das poucas bandas brasileiras de hardcore a ganhar um disco de ouro e um Grammy Latino de melhor álbum de rock brasileiro, em 2008, a CPM 22 comemora o lançamento de seu sétimo disco, aclamado como seu melhor trabalho até hoje, após quatro anos de “Cidade Cinza”. O disco é repleto de influencias de punk, hardcore e ska, da melhor qualidade, e certamente tem tudo para agradar imediatamente seu grande público.
“Depois de Um Longo Inverno” busca novas sonoridades e utiliza instrumentos diversos, sem deixar de lado as insubstituíveis guitarras, bateria e baixo, mas investindo também nos saxofones, trompetes e trombones, além do vibrafone, cello, órgão Hammond, piano e muitos arranjos de metais.
O CPM 22, agora acreditando nas inovações, também não deixa de lado seu foco de sempre, apresentando boas e inteligentes letras, mas surpreendendo pela ousadia e complexidade de seu novo trabalho, fadado ao sucesso.

O CPM 22, a cada dia, vem se posicionando como uma das mais importantes bandas brasileiras, conquistando legiões de fãs e crescendo sensivelmente com seus trabalhos cada vez mais elaborados e consistentes, tendo merecido, portanto, o registro definitivo de seu nome na Calçada da Fama do Rock nacional, a RockWALK Brasil.


Publicado em 03/06/2011

Lobão, pela segunda vez, grava suas mãos na “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

É isso mesmo.
O roqueiro Lobão, que já havia gravado as impressões de suas mãos na placa de concreto da RockWALK Brasil, a “Calçada da Fama do Rock” em 2008, refaz o trabalho em clima de muita descontração. O motivo ‘técnico’, segundo os organizadores do projeto, é que o artista teria em sua primeira tentativa, ocupado todo o espaço da placa com um enorme autógrafo, além da impressão de suas mãos, impedindo assim a colocação posterior de uma placa de metal com o nome e demais dados do homenageado, padrão seguido desde o início das captações. Na época, esse pequeno e fundamental detalhe não teria sido observado pela equipe, um pequeno ‘descuido de percurso’, já que Lobão é até então o número três a participar do projeto, que atualmente conta com cerca de 40 placas finalizadas.
Com esse novo procedimento, a placa anterior é então descartada, sendo substituída pela atual.
O reencontro com a equipe RockWALK Brasil acontece na terça-feira 31 de maio de 2011, ocasião em que, além da placa de concreto especial, Lobão também grava uma mensagem em vídeo para o site da Rockwalk; na primeira oportunidade em 2008, o cantor já teria deixado seu autógrafo na guitarra que integra a coleção do projeto, dispondo atualmente de dezenas de instrumentos que se tornam a cada dia e com a adição de novas homenagens, um grandioso e inestimável patrimônio da história da música brasileira.
O projeto RockWalk Brasil, criação do empresário, músico e jornalista Marcio Mota e fruto de anos a fio de pesquisas, muito trabalho e dedicação, nasce oficialmente em março de 2008, e percorre o país desde então em mostras itinerantes nos principais Shopping Centers e demais espaços de cultura. A meta da primeira etapa será a concretagem definitiva de suas placas culminando com a inauguração da “Praça do Rock”, local que certamente se transformará no Santuário do Rock brasileiro.
A previsão é de que o anúncio oficial aconteça no segundo semestre de 2011.

João Luiz Woerdenbag Filho, o Lobão, nasce no Rio de Janeiro em 11 de outubro de 1957 sob ascendência neerlandesa.
Conhecido como um músico, cantor e compositor irreverente, Lobão é dono de uma carreira de sucesso marcada por grandes parcerias e grandes hits, como “Me Chama”, gravada por vários intérpretes, e “Vida Louca Vida”, eternamente lembrada na voz de Cazuza.

Aos dezessete anos, sai de casa e se torna músico profissional; participa de uma peça teatral e logo compõe a banda Vímana, ao lado de Lulu Santos, Ritchie, Luis Paulo e Fernando Gama. Com o fim do grupo, três anos depois, segue como baterista tocando com Luiz Melodia, Walter Franco e Marina Lima, e logo fundaria a banda Blitz com Evandro Mesquita. Incompatibilidades ideológicas seriam o motivo para seu desligamento do grupo, pouco antes da explosão da Blitz, nome que o próprio Lobão cria para a banda.

“Cena de Cinema” é sua estréia solo, em 1982, e na sequencia forma a banda “Lobão e os Ronaldos”, que, apesar do estrondoso sucesso de “Me Chama”, logo se desfaz e coloca Lobão novamente na estrada em carreira solo. O lançamento do single “Decadence Avec Elegance”, em 1985, e do álbum “O Rock Errou”, 1986, mantém o artista em evidencia na mídia até sua prisão por porte de drogas. Um ano de reclusão resulta no trabalho “Vida Bandida”, trazendo-o de volta a cena. Após mais um período longe, novamente, da mídia, o sempre polêmico Lobão retorna às manchetes em 1999 ao romper com as gravadoras e lançar “A Vida é Doce” numa iniciativa até então inédita, distribuindo o produto via internet e bancas de jornais, além de algumas lojas de departamento.

Agora seus discos independentes são um sucesso, e Lobão lança a revista “Outracoisa”, direcionada a divulgar o trabalho de novas bandas e músicos independentes, entre eles o grupo Cachorro Grande e o ex-mutante Arnaldo Baptista.
A carreira de Lobão é marcada também por alguns prêmios importantes, como o Grammy Latino na categoria melhor disco de rock em 2007, e por sua participação como apresentador de TV, em 2005, no comando do programa “Saca Rolha”, na PlayTV, ao lado de Marcelo Tas e a modelo Mariana Weickert. Também trabalhou como apresentador na MTV Brasil de 2007 a 2010, e como jurado do “Astros”, do SBT.
A discografia de Lobão registra cerca de 14 trabalhos lançados, de 1984 a 2007.

AS NOVAS CAPTAÇÕES e a PROGRAMAÇÃO RockWalk Brasil
Outros ‘monstros sagrados’ da música brasileira já estão agendados para as próximas placas da RockWalk Brasil, como a cantora Marina Lima, Os Incríveis, Casa das Máquinas, Biquíni Cavadão, Rádio Táxi, Made In Brazil, Os Jordans, Leo Jaime e Cachorro Grande, entre outros, dando continuidade ao projeto RockWalk Brasil, um verdadeiro patrimônio brasileiro, cujo objetivo original é prestar o merecido tributo àqueles que ajudaram a contar a história do Rock And Roll nacional.


Publicado em 29/05/2011

Ney Matogrosso na “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

O artista Ney Matogrosso, lembrado nacionalmente desde a estréia do “Secos & Molhados”, há quatro décadas, acaba de gravar as impressões de suas mãos na RockWALK Brasil, a “Calçada da Fama do Rock”.
O encontro com a equipe RockWALK Brasil acontece na quinta-feira 26 de maio de 2011, por ocasião de sua visita a Ribeirão Preto, onde participa das festividades de abertura da Feira do Livro com um belíssimo show ao vivo.
Além da placa de concreto especial, Ney Matogrosso também grava uma mensagem em vídeo para o site da Rockwalk, e deixa seu autógrafo na guitarra que passa a integrar a coleção do projeto, que já dispõe de dezenas de instrumentos que se tornam a cada dia e com a adição de novas homenagens, um grandioso e inestimável patrimônio da história da música brasileira.
Nascido Ney de Sousa Pereira em 1º de agosto de 1941, e nacionalmente conhecido com a explosão do grupo vocal “Secos & Molhados” no início dos anos 70, Ney Matogrosso é dono de uma carreira brilhante, tendo permanecido em quatro décadas de estrada como um dos mais importantes e produtivos intérpretes da música brasileira.
Seu nome artístico Ney Matogrosso é adotado em 1971, ano em que se muda para São Paulo.
Não demora para que o artista nato, que um dia chega a trabalhar num laboratório de anatomia patológica e a sonhar com uma carreira na Aeronáutica, seja convidado para participar de um festival universitário e a formar um quarteto vocal.
Seu talento para o sucesso acaba sendo reconhecido durante uma de suas constantes viagens entre São Paulo e Rio, ao conhecer o produtor musical João Ricardo que na época procura exatamente um cantor de timbre agudo para a formação de um grupo musical; no primeiro teste vocal Ney já é contratado como cantor do “Secos & Molhados”, com o qual grava apenas dois discos pela extinta gravadora Continental, entre 1973 e 1974.
O primeiro álbum registra a impressionante marca de um milhão de cópias vendidas e emplaca vários e inesquecíveis sucessos como “O Vira”, “Rosa de Hiroxima”, “Sangue Latino”, “O Patrão Nosso de Cada Dia” e “Flores Astrais”, esta do segundo LP.
Ney deixa o Secos & Molhados em 1974 e no ano seguinte, lança o primeiro disco solo “Água do Céu – Pássaro”, que passa a ser mais conhecido como “O homem de Neanderthal” em referência à faixa homônima de abertura. Esse disco, considerado extravagante, não registra uma vendagem expressiva, mas dá o título ao primeiro espetáculo da carreira solo.
Outro disco antológico é “Pecado”, de 1977, último trabalho lançado pela gravadora Continental, traz um repertório que mistura o rock de “Metamorfose ambulante”, de Raul Seixas, e “A boca no mundo” de Rita Lee, com a bossa nova de “Desafinado”, de Tom Jobim, entre outras canções de ritmos variados.
Em 1978 estréia na gravadora WEA com o LP “Feitiço”, trazendo alguns sucessos de Carmen Miranda e o frevo “Não existe pecado ao sul do Equador”, de Chico Buarque, entre outros hits.
O início da década de 80 chega com várias ameaças do regime militar, pois é considerado um dos principais percussores da androginia, e apresenta figurinos e coreografias muito ousados, quase eróticos; mas é nesse período que Ney emplaca alguns de seus maiores sucessos como “Homem com H”, “Vida, Vida”, “Pro dia nascer feliz”, “Vereda Tropical”, “Seu tipo”, “Por debaixo dos panos” e “Sangue latino”, entre muitos outros.
O multimídia Ney Matogrosso desponta também no cinema, atuando como ator, além de transbordar talento também como coreógrafo, iluminador e dançarino, atuando inclusive como diretor geral de suas produções musicais e de outros artistas como Simone e o espetáculo “O tempo não pára”, de Cazuza, entre outros.
Ney Matogrosso exibe números bastante expressivos em relação a sua carreira: são cerca de 36 discos lançados, 40 canções em trilhas sonoras de telenovelas, minisséries e seriados, além dos inúmeros prêmios em vários segmentos em 40 anos de carreira.
Neste 2011, ano em que completa seus setenta anos de idade, Ney Matogrosso continua em pleno vigor físico e profissional, se reinventando a cada temporada.
“Beijo Bandido” é seu último trabalho, gravado ao vivo no Teatro Municipal do Rio de Janeiro, uma espécie de ‘releitura’ da música brasileira. A superprodução é um show de interpretação e sensualidade, traços característicos da personalidade marcante de Ney Matogrosso, um artista completo e definitivamente consagrado pelo público e a crítica nacional e internacional.
Entre outras atividades ligadas à música e outras manifestações de arte, Ney mantém no estado do Rio de Janeiro uma área de preservação ambiental para micos-leões-dourados, espécie ameaçada de extinção.


Publicado em 16/05/2011

Detonautas Roque Clube é eternizada na RockWalk Brasil – “A Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

Os integrantes de uma das mais importantes bandas brasileiras, representante clássica da história do rockandroll nacional, acabam de gravar as impressões de suas mãos na “RockWalk Brasil – A Calçada da Fama o Rock”.
O grupo Detonautas registra suas marcas na placa de concreto mais famosa do país neste último sábado, 14 de maio de 2011, na cidade de Ribeirão Preto, por ocasião de sua apresentação na Virada Cultural Paulista.
O encontro dos músicos Tico Santa Cruz (vocal), Cléston (DJ e percussão), Renato Rocha (guitarra), Philippe (guitarra e vocal de apoio), Tchello (baixo) e Fábio Brasil (bateria), com a equipe RockWALK Brasil, acontece sob grande emoção de todos, e os momentos da cerimônia são marcados por muita alegria e descontração.
A banda também grava uma mensagem em vídeo para o site da Rockwalk, e deixa seus autógrafos no contra-baixo que passa a integrar a coleção do projeto, que já dispõe de dezenas de instrumentos que se tornam a cada dia e com a adição de novas homenagens, um grandioso e inestimável patrimônio da história da música brasileira.

A crescente febre da Internet no Brasil, em 1997, marca o nascimento da banda “Detonautas Roque Clube”, ou apenas Detonautas.
Tudo começa no Rio de Janeiro quando Tico Santa Cruz pergunta em uma sala de bate-papo se alguém ali toca algum instrumento; a primeira resposta vem assinada pelo nick “Tchello”, do mineiro Eduardo Simão, que então administra uma pousada em Ilhéus, na Bahia. O encontro acontece no Rio de Janeiro, e o recrutamento dos demais integrantes continua via Internet; vem daí o nome da banda, resultado da soma das palavras ‘detonadores’ + ‘internautas’.
A banda começa a fazer sucesso nas rádios e logo ganha a estrada, faz muitos shows e o contrato com a Warner Music Brasil proporciona o lançamento do primeiro álbum trazendo os singles “Outro Lugar”, “Quando O Sol Se For” e “Olhos Certos”; o disco é sucesso nacional.
Muito conhecidos também pela participação no “MTV Rockgol”, o campeonato dos músicos, os Detonautas lançam em 2004 seu segundo trabalho de estúdio “Roque Marciano”, o primeiro disco de ouro trazendo hits como “O Dia Que Não Terminou”, “O Amanhã”, “Tênis Roque” e “Só Por Hoje”, e em 6 de novembro do mesmo ano gravam o DVD homônimo, lançado em 2005.
No ano seguinte chega o terceiro álbum “Psicodeliamorsexo&distorção”, mas a tragédia é que marcaria 2006 para sempre: aos 29 anos de idade o guitarrista Rodrigo Netto é assassinado com um tiro no peito no dia 4 de junho no Rio de Janeiro por traficantes que querem seu carro. O baixista Tchello tatua a imagem do rosto de Rodrigo em suas costas, e Tico a sua assinatura, numa clara homenagem ao amigo.
Em 2008 a banda assina com a Sony, e logo estão novamente em estúdio na produção do quarto disco “O Retorno de Saturno”, trazendo a faixa “Verdades do Mundo”, em mais uma homenagem ao amigo falecido.

Atualmente a banda trabalha seu último lançamento, um DVD com 27 músicas da banda e mais um cover de Plebe Rude e Renato Russo, além das inéditas “Só Nós Dois” e “O Inferno São os Outros”.

Tico Santa Cruz assume os vocais dos Raimundos durante alguns shows e participa da terceira edição do reality show “A Fazenda”, da TV Record.

Em 7 de Fevereiro de 2011, anuncia em seu blog oficial a saída dos Detonautas da Sony Music, e a produção de seu novo álbum independente para 2011.

Na agenda de shows, gerenciada pela AGITT Produções, o destaque é sua apresentação no “Rock in Rio”, no mesmo palco das bandas “System of a Down”, “ Evanescence” e “Guns N’ Roses”, no dia 2 de outubro. O grupo carioca fecha a programação da última noite do evento Rock in Rio 2011.

As novas captações e a programação RockWalk Brasil

Outros ‘monstros sagrados’ da música brasileira já estão agendados para as próximas placas da RockWalk Brasil, como a cantora Marina Lima, Os Incríveis, Casa das Máquinas, Biquíni Cavadão, Rádio Táxi, Made In Brazil, Os Jordans, Leo Jaime e Cachorro Grande, entre outros, dando continuidade ao projeto RockWalk Brasil, um verdadeiro patrimônio brasileiro, cujo objetivo original é prestar o merecido tributo àqueles que ajudaram a contar a história do Rock And Roll nacional.

O projeto RockWalk Brasil, criação do empresário, músico e jornalista Marcio Mota e fruto de anos a fio de pesquisas, muito trabalho e dedicação, nasceu oficialmente em março de 2008, e percorre o país desde então em mostras itinerantes nos principais Shopping Centers e demais espaços de cultura. A meta da primeira etapa será a concretagem definitiva de suas placas culminando com a inauguração da “Praça do Rock”, local que certamente se transformará no Santuário do Rock brasileiro.
A previsão é de que o anúncio oficial aconteça no segundo semestre de 2011.


Publicado em 27/06/2010

Erasmo Carlos é o mais novo “imortal” da RockWalk Brasil – a “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

Nasce no Rio de Janeiro RJ em 05 de junho de 1941 o músico, cantor e compositor Erasmo Esteves, o “tremendão” Erasmo Carlos.
Além de sua longa história de reconhecido sucesso, também é lembrado pela parceria com Roberto Carlos, dupla essa responsável por canções inesquecíveis, regravadas por muitos intérpretes de renome no Brasil e no exterior; Erasmo assina com Roberto mais de 500 obras.
Também podemos destacar o trio formado com Roberto e a ‘ternurinha’ Wanderléa, nas tardes memoráveis do programaJovem Guarda; “Gatinha Manhosa” e “Festa de Arromba” são dois, dos muitos sucessos, que marcam a época.
Muito presente na vida do cantor, a esposa Narinha vive com ele outros grandes momentos de sua carreira, a exemplo dos hits “Sentado à Beira do Caminho” e “Coqueiro Verde”.
Na década de 70, experimenta um pouco da cultura hippie e do soul, lançando “De Noite na Cama”, música polêmica escrita especialmente para ele por Caetano Veloso.
Também participa como ator nos filmes “Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora” e “Os Machões”, este, dirigido porReginaldo Faria.
Os anos 80 começam com o projeto ambicioso “Erasmo Carlos Convida…”.
São 12 canções interpretadas em dueto com Nara Leão, Maria Bethânia, Gal Costa, Wanderléa, A Cor do Som, As Frenéticas, Gilberto Gil, Rita Lee, Tim Maia, Jorge Ben Caetano Veloso. A faixa de maior destaque é “Sentado à Beira do Caminho”, com Roberto Carlos.
Logo vem “Mulher (Sexo Frágil)”, em parceria com sua mulher, Narinha, “Pega na Mentira” e “Feminino Coração de Deus”, deSérgio Sampaio.
Após muitos outros trabalhos lançados, em 1995 volta a se destacar nos “Trinta anos da Jovem Guarda”, que rende mais discos e muitos shows. No ano seguinte, grava o álbum “É Preciso Saber Viver”, mais um sucesso garantido.
Em 2001 Erasmo volta a lançar um disco novo: “Pra Falar de Amor”, incluindo algumas composições de Kiko Zambianchi eMarcelo Camelo. No ano seguinte, acontece seu primeiro DVD ao vivo, além de um CD duplo.
Em 2004, Erasmo lança “Santa Música”, com canções de sua autoria; além da faixa-título, destaca-se “Tim”, uma homenagem a Tim Maia.
Em 2007, chega às lojas “Erasmo Convida, Volume II”; Adriana Calcanhotto, Lulu Santos, Simone, Marisa Monte, Milton Nascimento e as bandas Skank e Los Hermanos estão entre os convidados. O destaque fica com “Olha”, cantada com Chico Buarque, tema de “Paraíso Tropical”, da Globo.
Em 2009, exatamente no dia cinco, seu aniversário de 68 anos, Erasmo lança o CD “Rock ‘N’ Roll”, uma homenagem ao gênero que mais o influencia, com composições próprias e em parcerias com Nando Reis, Nelson Motta, Chico Amaral, Liminha ePatrícia Travassos.

Contabilizando cerca de 26 discos gravados e uma extensa carreira de obras antológicas, o “Pai do Rock brasileiro” Erasmo Carlos é finalmente indicado pelo Comitê RockWalk Brasil na categoria principal “Músico”, pelo reconhecimento a sua grande contribuição à história do rockandroll nacional, incluído assim definitivamente no hall dos mais famosos e respeitados nomes do magnífico acervo da música brasileira.

O convite é oficializado e aceito desde o final de 2009, no entanto, a *cerimônia de captação e inclusão só acontece alguns meses depois, durante a estada do cantor na cidade de Ribeirão Preto SP, no último dia 18 de junho, em sua suíte do JP Hotel.

Erasmo fala sobre sua inclusão na RockWalk Brasil – assista ao vídeo:


Publicado em 21/06/2010

Milton Nascimento é imortalizado na RockWalk Brasil – a “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

Nascido no Rio de Janeiro em 26 de outubro de 1942, o cantor e compositor Milton Nascimento, o ‘Bituca’, muda-se ainda criança para Minas Gerais.
Seus pais adotivos JosinoLília Silva Campos, ela professora de música e ele dono de uma estação de Rádio, não imaginam que aquele menino de treze anos, que já canta em festas e bailes na cidade de Três Pontas, em Minas Gerais, seria um dia reconhecido mundialmente como um dos mais influentes e talentosos cantores e compositores da música brasileira.

Ainda no interior de Minas e ao lado de Wagner Tiso, integra o grupo W’s Boys.
Sua primeira canção “Barulho de trem” é gravada em 1962.
Em Belo Horizonte cursa Economia, e, tocando em bares e clubes noturnos, começa a compor com mais frequência; logo viriam “Novena” e “Gira Girou” (1964), ambas com Márcio Borges.

Dos encontros com os irmãos Borges, Marilton, Lô e Márcio, numa esquina das Ruas Divinópolis com Paraisópolis surgem os acordes e letras de “ Cravo e Canela”, “Para Lennon e McCartney”, “Trem azul”, “Nada será como antes”, “Estrelas” e “Cais”. Logo chegam Tavinho Moura, Flavio Venturini, Beto Guedes, Fernando Brant, Vermelho Toninho Horta; estaria formado o lendário “Clube da Esquina”.
Em 1972 a EMI grava o primeiro LP duplo “Clube da esquina 1”.
O álbum é sucesso no mundo inteiro, e leva Milton Nascimento a gravar o disco “Native Dancer” com Wayne Shorter, em 1975, projetando Milton ao mercado norte-americano.

Milton Nascimento coleciona sucessos como “Maria, Maria”, com Fernando Brant, e a interpretação de “Coração de Estudante” (Wagner Tiso), que se torna o hino do movimento político “Diretas Já”, de 1984, e dos funerais de Tancredo Neves em 1985.
A “Canção da América” seria também o tema de fundo dos funerais de Ayrton Senna, em 1994.
O estilo musical de Milton pode ser classificado como Música Popular Brasileira, um mix de gêneros como música regional folclórica e bossa nova, além das fortes influências do jazz e de grandes expoentes do rock como os BeatlesBob Dylan.

Com cerca de trinta e quatro discos gravados, Milton Nascimento também divide os microfones com um variado time de artistas como os hard-roqueiros do Angra, e os cantores Elis Regina (musa inspiradora para quem compôs inúmeras canções), Maria Bethânia, Gal Costa, Jorge Ben Jor, Caetano Veloso, Simone, Chico Buarque, Clementina de Jesus, Gilberto Gil, Beto Guedes, e os internacionais Paul Simon, Peter Gabriel, Herbie Hancock, Quincy Jones e Jon Anderson.
Milton Nascimento apadrinha a filha de Elis, Maria Rita, cuja carreira decola após sua participação no álbum “Pietá”, onde canta três faixas.

Pela autoria e interpretação de belas e inesquecíveis canções, com sua voz suave e de afinação primorosa, além de seu total comprometimento com a arte, Milton Nascimento acaba de ser indicado pelo Comitê RockWalk Brasil na categoria principal “Músico”, reconhecido por sua grande contribuição à história do rockandroll nacional, passando assim a figurar entre os mais respeitados nomes do grandioso acervo da música brasileira.

A cerimônia de captação e inclusão aconteceu durante a estada do cantor na cidade de Ribeirão Preto SP, no último dia 10 de junho, em sua suíte do Hotel Confort Inn.

As novas captações e a programação RockWalk Brasil

Outros ‘monstros sagrados’ da música brasileira já estão agendados para as próximas placas da RockWalk Brasil, como o tremendão Erasmo CarlosMarina Lima, Os Incríveis, Casa das Máquinas, Biquíni Cavadão, Rádio Táxi, Made In Brazil, Os Jordans, Leo Jaime Cachorro Grande, entre outros, dando continuidade ao projeto RockWalk Brasil, um verdadeiro patrimônio brasileiro, cujo objetivo original é prestar o merecido tributo àqueles que ajudaram a contar a história do Rock And Roll nacional.

O projeto RockWalk Brasil, criação do empresário, músico e jornalista Marcio Mota, nasceu oficialmente em março de 2008, e acabou dando origem a outro megaprojeto do mesmo autor com a criação do Parque do Rock, um gigantesco Parque Temático que trará cinco palcos, Museu do Rock, Faculdade de Música e Artes Cênicas, um grande Shopping Center a céu aberto e vasta área verde com esportes radicais, além de um Camping, Hotel temático e mais de trinta atrações alusivas ao rock and roll.

Calçada da Fama do Rock Brasileiro estará definitivamente ‘concretada’ no Parque do Rock a partir da inauguração da primeira fase, programada para o final de 2011.


Publicado em 15/06/2010

Flávio Venturini é o mais novo integrante da RockWalk Brasil – a “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

Nascido em Belo Horizonte aos 23 de julho de 1949, o cantor, músico e compositor Flávio Venturini é revelado pelo movimento chamado “Clube da Esquina” nos anos 60/70, em Minas Gerais, juntamente com Milton Nascimento e os irmãos Borges, Marilton, Márcio e.

Logo Flávio Venturini participaria do grupo musical “O Terço”, grande referência do surgimento do rock clássico e progressivo no Brasil, antes de formar o também lendário grupo “14 Bis” ao lado de seu irmãoCláudio Venturini e dos amigos Hely Rodrigues, Vermelho e Sérgio Magrão.

Claramente influenciados pelos Beatles, Rolling Stones, Deep Purple, Yes, Led Zeppelin e Pink Floyd, os ícones mundiais da época, e com o aval de Milton Nascimento, produtor do primeiro disco, o 14 Bis é contratado pela multinacional EMI Odeon para gravar o “14 Bis I”, disco que rapidamente chegaria as paradas com os sucessos “Natural” e “Canção da América”, esta, assinada por Milton Nascimento e Fernando Brant.

Logo viriam outras preciosidades como “Planeta Sonho”, “Nova Manhã”, “Caçador de Mim”, “Bola de Meia, Bola de Gude”, além das inesquecíveis “Linda Juventude” e “Todo Azul do Mar”.

No final dos anos 80, Flávio Venturini deixa o grupo para novos vôos em carreira solo, continuando a compor e interpretar hits como “Nascente”, “Nuvens”, “Caçador de Mim” e a canção “Espanhola”, composta em conjunto com Guarabyra, da dupla Sá & Guarabyra, uma de suas músicas mais conhecidas.

Flávio Venturini contabiliza cerca de vinte e cinco discos lançados, entre os trabalhos com o Terço, 14 Bis e solo, destacando-se a composição “Nascente”, sua música mais gravada por inúmeros cantores, inclusive no exterior.

Dono de uma voz com timbre característico pelos faucetes bem colocados, e pela autoria de belas e inesquecíveis canções, Flávio Venturini acaba de ser indicado pelo Comitê RockWalk Brasil na categoria principal “Músico”, pelo reconhecimento a sua grande contribuição à história do rockandroll nacional, passando a figurar entre os mais respeitados nomes do grandioso acervo da música brasileira.

A cerimônia aconteceu durante a estada do cantor na cidade de Ribeirão Preto SP, neste último dia 10 de junho, nas instalações do Hotel Confort Inn Suites, onde Flávio Venturini recebeu a equipe RockWalk Brasil.


Publicado em 13/06/2010

Lô borges passa a integrar o hall da RockWalk Brasil – a “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”

Nascido Salomão Borges Filho em janeiro de 52, em BH, o cantor e compositor Lô Borges foi um dos fundadores do “Clube da Esquina”, grupo de artistas mineiros que marcou presença na música popular nas décadas de 70 e 80. Ao lado de Milton Nascimento, lançou o disco ‘Clube da Esquina’, em 72, que se tornaria um marco na história da música brasileira. Autor de várias músicas famosas, destacam-se “Paisagem da Janela”, “Para Lennon e McCartney”, “Clube da Esquina n.º 2” e “O Trem Azul”, algumas de suas inesquecíveis composições.

Lô Borges tem no currículo diversas composições nas vozes de Milton Nascimento, Flávio Venturini, Tom Jobim e Elis Regina, entre muitos outros, várias turnês de sucesso pela Europa, Ásia e Estados Unidos, treze discos lançados e parcerias memoráveis com nomes consagrados tais como Samuel Rosa, Tom Zé, Nando Reis e Arnaldo Antunes.

Um dos mais respeitados nomes do cenário artístico nacional, Lô Borges acaba de registrar as impressões de suas mãos na RockWalk Brasil, a “Calçada da Fama do Rock Brasileiro”. O artista foi indicado na categoria principal “Músico”, pelo reconhecimento a sua grande contribuição à história do rockandroll nacional, passando assim a integrar o seleto cast do mais precioso acervo da música brasileira.

A cerimônia aconteceu durante a estada do cantor na cidade de Ribeirão Preto SP, neste último dia 10 de junho, nas instalações do Hotel Confort Inn Suites, onde Lô Borges recebeu a equipe RockWalk Brasil.



© 2013 RockWalk Brasil
WP       XHTML       CSS
» Categoria "Músico"



» Categoria "Especial"



» Categoria "In Memoriam"